Semana do Peixe incentiva consumo e redução de preços do alimento no país


Tomaz SilvaA 10ª Semana do Peixe, promovida pelo Ministério da Pesca e Aquicultura, iniciou no domingo, dia¨1º, e segue até o dia 15 de setembro, com ações que buscam incentivar o consumo e diminuir os preços do alimento no Brasil. A abertura oficial dacampanha ocorreu em uma das mais tradicionais colônias de pescadores do Rio de Janeiro, a Z-13, em Copacabana.

A superintendente federal de Pesca e Aquicultura fluminense, Suely Amaral, explica que a campanha funciona como uma âncora, no segundo semestre, para o aumento do consumo de pescado, papel que no primeiro semestre é exercido pela Semana Santa. A população brasileira ainda consome menos pescado do que o recomendado pela OrganizaçãoMundial da Saúde (OMS), que é pelo menos 12 quilos ao ano por habitante. A média atual do país é nove quilos ao ano por pessoa. A meta do Ministério da Pesca é atingir, até o final de 2015, a recomendação da OMS.

– No ano passado, tivemos um aumento de 24% no consumo nos dias da Semana do Peixe no Estado e este ano a meta é superar esse índice e conscientizar cada vez mais o consumidor. Teremos doações de pescado a comunidades, cursos de capacitação nas colônias de pescadores de todo o Estado, estímulo à introdução de mais peixe no cardápio da merenda escolar e nas cozinhas comunitárias, e ainda contamos com a adesão voluntária dos restaurantes. Com maior consumo de peixe, os preços tendem a cair – acrescentou.

Embora o consumo de peixe no brasil tenha crescido, ainda é pouco se comparado com a média mundial. Na abertura da Semana do Peixe em Brasília o ministro da Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella fez um balanço dos investimentos e das medidas para impulsionar o setor e afirmou que R$ 500 milhões, do total de R$ 4 bilhões anunciados no plano safra, já foram disponibilizados para os aquicultores de todo o país.

– Desoneramos o preço do peixe, tirando os impostos e colocando o peixe na cesta básica e agora estamos descomplicando a licenca ambiental para a produção de peixe nas fazendas. O ministério está distribuindo um bilhão em máquinas e a nossa ideia é diminuir o numero de importação – afirmou o ministro.

Para incentivar o consumo o governo federal pretende reduzir o preço do produto. Mesmo com expectativa de preços mais acessíveis, quando o assunto é peixe o Brasil ainda está longe de ser auto-suficiente. Em em 2012, o país produziu pouco mais 1,3 milhão toneladas de peixe. Para suprir a demanda do mercado interno, foram importadas quinhentas mil toneladas no ano passado. O ministro Pesca e Aquicultura, Marcelo Crivella, garantiu que a alternativa para aumentar a produção nacional esta na diversificação das atividades e na criação de cativeiros.

– Seria o grande horizonte para o agronegócio brasileiro, unir a nossa produção de soja, de milho, de trigo e hortaliças com o peixe. Em um hectare de terra se consegue, por ano, engordar uma tonelada de boi. Em um hectare de água com gaiola nós podemos produzir 200 toneladas de peixe – disse Crivella.

Parceria

No Distrito Federal, associações de produtores têm firmado parcerias com criadores de alevinos, os filhotes de peixes, e fabricantes de ração, itens básicos na produção de pescados.

– Nós vamos fornecer o alevino por um preço baixo. Estamos conversando com os produtores de ração para tentarmos uma parceria. Diminuindo o custo de produção da propriedade a gente vai conseguir fazer com que esse peixe seja ofertado no varejo com o preço bem menor – conta Francisco Pereira Baia, presidente da AG Peixe.

Rio de Janeiro

Suely Amaral, da superintendência federal de Pesca e Aquicultura no Rio de Janeiro, destacou que durante esta semana serão promovidas doações de pescado para as comunidades e cursos de capacitação nas colônias. Nesta semana, mais de uma tonelada de pescado será distribuída gratuitamente na capital do Rio de Janeiro. Na abertua, as  equipes do ministério distribuíram mais de duas mil cartilhas em pouco mais de duas horas. A Colônia Z-13 é um dos poucos no Rio de Janeiro onde o peixe que chega do mar é diretamente vendido ao consumidor.

Em Cabo Frio, onde o ministro Marcelo Crivella esteve no sábado, dia 31, para divulgar a Semana da Pesca, uma das atividades é um circuito gastronômico envolvendo nove restaurantes do Boulevard Canal, uma das atrações turísticas da cidade. Além da Semana do Peixe, o estímulo à realização de festivais gastronômicos de frutos do mar faz parte de um calendário da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, com o apoio do ministério, para promover o consumo.

Deixe um comentário!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *